quarta-feira, fevereiro 02, 2005

UMA PEQUENA INTRODUÇÃO

O Sin�drio

Caros Bloggers,
Primeiro que tudo, tenho que agradecer a oportunidade que me dão de contribuir para este magnífico espaço de reflexão política. Sinceramente, não sei se estarei ao nível dos meus ilustres colegas de redacção, com certeza, muito mais estudiosos do fenómeno político do que eu. No entanto, esforçar-me-ei para que não seja visto como a "ovelha negra" do grupo.
Estou longe... Até ao dia 1 de Maio, encontro-me a viver na capital do imperialismo, capitalismo, liberalismo, consumismo, belicismo e todos aqueles "ismos" que os "pregadores do mundo perfeito" muito gostam de referir - New York (tenho a certeza que mesmo estes não resisitiriam aos encantos desta fantástica cidade).
Penso que o facto de me encontrar do outro lado do Atlântico, apesar de as novas tecnologias diminuirem substancialmente essa distância, tornará um pouco mais difícil o acompanhamento do quotidiano político português e, por isso, provavelmente, escreverei mais sobre outros temas...veremos!
Antes de começar a opinar sobre o que quer que seja e porque sou adepto da transparência, gostaria que ficassem a conhecer, em termos muito genéricos, o meu posicionamento político:
- Democrata - acredito totalmente no poder do voto;
- Neoliberal - acredito que o estado deve deixar o seu papel enquanto prestador de serviços, entregando esse papel a nós "particulares"; o estado deve passar a ser um árbitro isento do nosso jogo, limitando, tanto quanto possível, o seu papel como interveniente principal;
- Social - Será uma contradição com o neoliberalismo? Penso que não... O Estado deve manter uma função social, protegendo quem realmente necessita e não fomentando o parasitismo;
- Anti-Comunismo/Anti-Fascismo - Há diferença??
- Favorável à globalização - Penso que os países, desde o 1º até ao 3º mundo, têm mais a ganhar com uma economia global do que sem ela;
- Republicano - Confesso que já fui mais, mas a crença de que os homens não devem nascer com estatuto, mas sim conquistá-lo, faz-me manter esta posição.

De facto, hoje, com 24 anos, este é o meu posicionamento geral. No entanto, não vejo qualquer destas posições como a perfeita, mas sim como a menos má, perante as opções que me são apresentadas. Não há pensamentos, sistemas ou regimes perfeitos. E isso acontece, simplesmente, porque não há Homens perfeitos! Penso que quando nos é mostrado um determinado conjunto de opções (políticas, económicas ou quaisquer outras), devemos optar sem aquilo a que chamo o "complexo da perfeição".
Um dia destes, desenvolverei um pouco mais estes pensamentos...
Hoje, deixo-vos apenas esta pequena introdução sobre mim, não porque me considere importante o suficiente para que alguém tenha interesse em saber quais princípios políticos que me movem, mas para que, conforme vá escrevendo sobre os vários temas, não tenham dúvidas sobre quais são os meus princípios políticos gerais...Não gosto de posições dúbias!!!