sexta-feira, outubro 07, 2005

Indian Railways

A companhia dos Caminhos de Ferro da Índia, controlada pelo Estado, é um sistema gigantesco. Todos os dias, em média, mais de 14,000 comboios transportam cerca de 12,5 milhões de passageiros e 1,3 milhões de toneladas de carga, percorrendo os 107,969 km de linha. O número de pessoas que emprega actualmente - 1,6 milhões – representa a maior força de trabalho de uma companhia em todo o mundo. A actual companhia é o resultado da fusão de outras duas criadas pelos ingleses, a East India Railway Company e a Great Indian Peninsula Railway, perante a necessidade de encontrar uma alternativa viável ao abastecimento de algodão proveniente dos EUA.

Um olhar atento sobre um comboio de passageiros na Índia pode revelar alguns aspectos da realidade socio-cultural do país, principalmente os seus dois futuros (e presentes) grandes problemas: o excesso de população e a poluição e falta de salubridade pública. Comboios enormes (nunca menos de 30 carruagens) e antigos, sujíssimos por dentro e por fora, completamente lotados e dividos por classes: primeira, cerca de 20 vezes mais cara que a segunda, cuja única mas importante diferença é que está muito menos lotada; menos lotada significa que em princípio há espaço para entrar se se empurrar violentamente as pessoas que estão penduradas à porta; a segunda classe, que por vezes transporta tanta gente no seu interior como por cima do comboio; e a classe das mulheres, que existe não por preocupação para com elas mas sim porque na Índia as mulheres são consideradas inferiores. Tudo isto resulta em 50 mortos por dia nas linhas de comboio, entre acidentes e atropelamentos.
Quando ia para o trabalho de comboio – todos os dias – muitas vezes me vinha à cabeça aquele anúncio que dava na televisão há uns anos, no qual enfiavam 15 pessoas dentro dum Smart, mas numa escala muito maior, com 40 graus e uma humidade insuportável.

1 Comments:

Blogger Bernardo Pires de Lima said...

Grande post manel!!!
Escreve mais!!
grande abraço

3:11 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home