terça-feira, outubro 04, 2005

Luz ao fundo do túnel

1. Depois de ultrapassado o problema levantado pela triste Áustria, que colocou os seus assuntos internos por cima de uma grande questão estratégica (o que está em causa não é o facto de se ser a favor ou contra a entrada da Turquia mas as razões que levaram o chanceler Schuessel a tomar aquela atitude) a Europa parece querer acordar do seu sono e começar a dar cartas. Assim se espera. Vejamos como reagirão Merkel, Sarkozi e sucedâneos. Temos nas mãos a oportunidade de provar que a Europa não é um projecto confessional.
2. A direcção da Mundicenter afastou a directora de marketing do Centro Comercial das Amoreiras no seguimento das declarações feitas por esta sobre a "melhoria" da clientela nas amoreiras desde que as pessoas de cor tinham passado a frequentar outros centros comerciais. Bruno, nem tudo está perdido.

2 Comments:

Anonymous The Studio said...

Caro David, peço desculpa mas o que diz é completamente estúpido em toda a dimensão da palavra. Para que fique claro, "os assuntos internos" que levaram a Áustia a levantar tal problema são uma opinião pública com 90% dos Austríacos a rejeitar uma adesão da Turquia. Segundo o David, mais grave são as razões que levaram o Schuessel a tomar aquela atitude. Caso não saiba, numa democracia os governantes são os representantes do povo e como tal deveriam tomar as posições defendidas maioritariamente pelo seu povo. Uma vergonha são os restantes 24 países, cujos povos não desejam ver a Turquia na UE, a tomar posições contrárias aos desejos dos povos que representam. Está visto que o senhor Castaño é um dos que preferiria ser governado por um senhor de bigodinho, algum Joseph ou algum Adolf, esses sim estiveram-se nas tintas para o que o povo pensava.
A Europa não começa a dar cartas nenhumas. Caso não saiba, quando a Áustria levantou o problema, o governo Turco contactou a senhora Madalaine Albraigt e foram os EUA que solucionaram a questão, usando a sua influência, não os Europeus. Aliás, a adesão da Turquia à UE deve-se apenas à pressão dos EUA e serve simplesmente os interesses dos EUA. O David teve nas mãos uma excelente oportunidade de ficar calado.

4:57 da tarde  
Blogger David Castaño said...

Caro The studio,
Tem razão quando diz que a maioria dos europeus estão contra a entrada da Turquia na Europa,mas em meu entender essa posição deve-se essencialmente à falta de conhecimentos dos europeus neste como em muitos outros assuntos. Quando a Europa começou a ser construída também não se andou a fazer perguntas aos povos europeus sobre o que achavam da CECA ou da CEE. Hoje a UE é um dado adquirido só questionado pelos extremos. Caso não saiba Hitler não estava nas tintas para o seu povo, esse é que foi ele o problema. Em primeiro lugar ele ganhou as eleições e não foi a dizer que ia fazer uma coisa para depois fazer outra, em segundo lugar representava, infelizmente um sentimento maioritário da Alemanha.
Quanto ao interesse dos Estados Unidos na adesão da Turquia à UE, penso que é coincidente com os interesses da Europa (que neste caso estão obviamente em primeiro lugar) e não vamos ser do contra só porque os Estados Unidos são a favor!

5:22 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home