quarta-feira, outubro 26, 2005

O pessimismo realista

Em relações internacionais, se perguntasse aos realistas qual a sua citação predilecta, estou certo que muitos escolheriam a frase de Michael Oakeshott: “Na actividade política, o homem navega num mar interminável e sem fundo, não há nem porto para abrigo nem chão para ancorar, nem ponto de partida ou destino previsto. O objectivo é manter o barco a flutuar sobre uma quilha equilibrada.”

Eu porém acredito que ninguém navega só para se manter à superfície, sem destino. Se o faz, então está perdido. Por isso a minha escolha cairia sobre a observação de Oscar Wilde: “Um mapa do mundo que não inclui Utopia não merece sequer uma olhadela.”

1 Comments:

Blogger Bernardo Pires de Lima said...

grande manel
convinha explicar bem o sentido da palavra utopia, porque ela já foi motivo para as maiores atrocidades. Tenho sempre um calafrio cada vez que ouço falar nela.
abraço!

1:12 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home