sexta-feira, outubro 28, 2005

Será Amor?

Faltando bons argumentos para defender o seu candidato, a ilustre mandatária da juventude de Mário Soares, Joana Amaral Dias, parece estar a viver uma paixão obsessiva pela figura de Cavaco Silva. Há várias semanas que só consegue falar deste candidato. Agora, "choca-se" pelo facto de Cavaco há 14 anos atrás ter afirmado que um dos políticos do Sec. XX que mais admirava era Duarte Pacheco, ministro das Obras Públicas de Salazar.
Tenho curiosidade em saber que políticos admirará a dirigente do BE: Trotsky, Estaline, Vasco Gonçalves, Louçã?
Quanto a Duarte Pacheco, foi, reconhecidamente, um dos homens mais empreendedores da história do Sec. XX português.
Com este distanciamento histórico, Joana Amaral Dias, como pessoa inteligente que, com certeza, será, já deveria conseguir discernir o bom do mau, mesmo dos regimes que assumidamente odeia.
O problema é que sofre de um complexo de esquerda que lhe causa "cegueira histórica".
A maturidade que só a idade confere, poderá fazer de Joana uma nova Zita. Se assim for, os meus parabéns! Mais vale tarde do que nunca!
Por enquanto, foi Soares que se encostou à extrema esquerda. Esse facto, vai lhe retirar muitos votos e só lhe dará um: o da Joana.