segunda-feira, novembro 07, 2005

O outro lado da História




Amin Maalouf conta a história das cruzadas baseando-se nos testemunhos dos historiadores árabes da época, sendo interessante verificar que as versões ocidentais e orientais não coincidem. Embora escrito em 1983, o Epílogo do livro é particularmente actual, na medida em que Maalouf sustenta que os acontecimentos descritos ao longo da obra ainda influenciam os árabes e muçulmanos em geral na sua postura face ao Ocidente. Na altura das Cruzadas, embora a entrar num período de declínio, a Civilização Árabe era ainda a mais avançada do planeta. Os árabes sofriam, desde antes das cruzadas, de certas “enfermidades” que a presença franca pôs em realce e que certamente agravou, mas que não criou na totalidade. O declínio passou a decadência. E é este trauma que o autor refere como parte importante da explicação para a existência de um sentimento de eterna perseguição do mundo Árabe, que adquire contornos muito graves em certos fanáticos. Dos vários exemplos dados, há um bastante elucidativo, que é o do cidadão turco que em 1981 tentou assassinar o Papa João Paulo II, tendo previamente explicado numa carta o porquê da sua acção: “Decidi matar João Paulo II, comandante supremo dos cruzados...”

2 Comments:

Blogger Rosario Andrade said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

7:31 da tarde  
Blogger Rosario Andrade said...

Gosto imenso de Maalouf e ja li este livro. É excelente, e demonstra como a história é escrita pelos vencedores...
No entanto, não é um livro fácil de ler, porque, como é obvio, é sanguinaria e mostra a cru a crueldade humana.
Ja Samrcanda é dos livros mais interessantes que li, talvez um bom começo para quem não conhece Maalouf.. digo eu, vá...

Abracicos!

7:35 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home