terça-feira, janeiro 24, 2006

Manuel Alegre


Embora não o confesse, Alegre sabe que foi o segundo vencedor da noite. Contra ventos e marés, sem qualquer apoio de aparelhos partidários, recolheu mais de um milhão de votos e deixou a confortável distância o seu principal adversário, Mário Soares.
Fez uma campanha inteligente, apelando a valores, de certo modo, um pouco esquecidos e que fazem alguma falta a Portugal: patriotismo, solidariedade, respeito, integridade…
Tudo isto de forma moderada, sem o radicalismo que tem caracterizado, por exemplo, Soares nos últimos tempos.
Com esta atitude ganhou muitos votos daqueles que decidem as eleições, os do centro.
Muitos se questionam o que fará Alegre com estes votos. Na minha opinião, não fará nada! Já fez o suficiente até ao dia 22, demonstrando que os portugueses estão fartos do aparelhismo dominante.