sexta-feira, fevereiro 03, 2006

Os radicais e os "borrados"




Acho ridícula a polémica gerada em torno das caricaturas do profeta Maomé. Trata-se, simplesmente, de uma polémica criada por duas partes: de um lado, radicais islâmicos; do outro, perdoem-me a expressão, “borrados” ocidentais. Nesta polémica não entram, com certeza, os moderados, ou seja, aqueles que, embora não achando piada a uma liberdade de expressão revelada naqueles termos, também não fazem uma tempestade no copo de água, nem aqueles que se recusam curvar perante o medo de represálias dos "ferverosos" islâmicos.
Obviamente que não coloco em causa o respeito que devemos ter por todas as crenças e religiões, desde que as mesmas sejam merecedoras desse respeito. O verdadeiro Islão merece-nos consideração, no entanto, isso não justifica que não os possamos criticar e que a nossa atitude para com eles seja de um “respeito forçado”, motivado pela desconfiança e medo, do tipo: “cuidado com as palavras que se utilizam quando nos referimos aos muçulmanos, porque senão eles ainda nos colocam uma bomba no autocarro”; “o ataque ao Iraque foi um enorme erro, pois provocou uma enorme ira nos muçulmanos e motivou os atentados que temos sofrido”; “ não devemos apoiar Israel, pois isso irrita os muçulmanos”. Pelo contrário, devemos criticar e muito, aqueles que ao abrigo de um pretenso fervor religioso, se permitem cometer os maiores abusos, deturpando totalmente os valores que sustentam uma religião. Na minha opinião, a atitude medrosa que alguns têm, é que é desrespeitadora do Islão, pois os verdadeiros muçulmanos não são os radicais, ou seja, aqueles que apregoam a destruição da nossa civilização (queimam os nossos símbolos, atentam contra os nossos líderes e se fazem explodir no combóio…), mas agora chocam-se perante umas míseras caricaturas. Ao actuarmos com reserva perante as comunidades muçulmanas, estamos a colocar todos no mesmo saco, os verdadeiros (tenho vários amigos) e os falsos muçulmanos. Isso sim é um desrespeito.
Ainda assim, o respeito e a consideração, não implicam que eu tenha que considerar que a civilização muçulmana é tão boa como a minha. Pessoalmente, considero que os nossos valores estão, hoje, num patamar muito acima: não é por aqui que existem déspotas; não é por aqui que as mulheres andam de burca; não é por aqui que se matam pessoas para se desflorar virgens no céu. Com certeza que os muçulmanos que eu conheço, pessoas tolerantes, podem não comer febras, mas também não se revêem de todo naqueles comportamentos. No entanto, a verdade é que acabam por ser aqueles que dominam a generalidade dos Estados muçulmanos e, portanto, eu seria hipócrita se dissesse que considero os seus valores, simplesmente, diferentes dos meus. Não! Aqueles valores são muito piores que os meus.

Isto é só uma opinião, admito outras em contrário. Opinar, não significa desrespeitar.

2 Comments:

Anonymous Margarida said...

Aretha Franklin - Respect Lyrics


(ooh) What you want
(ooh) Baby, I got
(ooh) What you need
(ooh) Do you know I got it?
(ooh) All I'm askin'
(ooh) Is for a little respect when you come home (just a little bit)
Hey baby (just a little bit) when you get home
(just a little bit) mister (just a little bit)

I ain't gonna do you wrong while you're gone
Ain't gonna do you wrong (ooh) 'cause I don't wanna (ooh)
All I'm askin' (ooh)
Is for a little respect when you come home (just a little bit)
Baby (just a little bit) when you get home (just a little bit)
Yeah (just a little bit)

I'm about to give you all of my money
And all I'm askin' in return, honey
Is to give me my profits
When you get home (just a, just a, just a, just a)
Yeah baby (just a, just a, just a, just a)
When you get home (just a little bit)
Yeah (just a little bit)

Ooo, your kisses (ooh)
Sweeter than honey (ooh)
And guess what? (ooh)
So is my money (ooh)
All I want you to do (ooh) for me
Is give it to me when you get home (re, re, re ,re)
Yeah baby (re, re, re ,re)
Whip it to me (respect, just a little bit)
When you get home, now (just a little bit)

R-E-S-P-E-C-T
Find out what it means to me
R-E-S-P-E-C-T
Take care, TCB

Oh (sock it to me, sock it to me,
sock it to me, sock it to me)
A little respect (sock it to me, sock it to me,
sock it to me, sock it to me)
Whoa, babe (just a little bit)
A little respect (just a little bit)
I get tired (just a little bit)
Keep on tryin' (just a little bit)
You're runnin' out of foolin' (just a little bit)
And I ain't lyin' (just a little bit)
(re, re, re, re) 'spect
When you come home (re, re, re ,re)
Or you might walk in (respect, just a little bit)
And find out I'm gone (just a little bit)
I got to have (just a little bit)
A little respect (just a little bit)

6:08 da tarde  
Blogger MigDeF said...

Plenamente de acordo. Quem aplaude os atentados de NY, Madrid ou Londres pode porventura indignar-se com uns cartoons? Mais: pode exigir que o governo dinamarquês, ao arrepio de toda a tradição democrática, restrinja a liberdade de expressão? Mas é o governo dinamarquês que está errado, por acaso?!

1:27 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home