segunda-feira, maio 30, 2005

500 suspeitos de terrorismo detidos em Bagdad

A detenção de mais de 500 suspeitos de terrorismo na madrugada de ontem, em Bagdad, foi o resultado do novo plano de segurança do Governo iraquiano denominado "Operação Relâmpago". Mais de 40 mil efectivos da polícia e do exército neutralizaram ainda vários depósitos de armas no mesmo dia em que os atentados em Bagdad provocaram a morte de 23 iraquianos. Em Khala, a sul do país, um ataque à bomba causou a morte de um soldado britânico. A "Operação Relâmpago" provocou a reacção do grupo liderado por Al-Zarqawi, que colocou ontem na Internet um comunicado em que ameaça responder ao plano lançado pelo Governo iraquiano "Os esquadrões e as brigadas, dirigidas pelo xeque dos mujaidines Abu Mussab al- -Zarqawi, lançaram no domingo [ontem] uma operação, denominada 'Conquista do mártir Abderrahman al-Basri', planificada e supervisionada pelo nosso xeque". Mas, segundo revelou ontem o jornal britânico The Sunday Times, o líder da Al-Qaeda no Iraque, deixou o país para ser tratado de urgência no Irão, depois de ter sido atingido no peito por estilhaços de obus. Teerão, porém, desmentiu de imediato esta informação.

E ninguém diz nada!! O Iraque só é notícia se ocorrer um atentado fotogénico? Só se fala do Iraque quando as coisas correm mal?

Esta "sociedade da informação" é mesmo muito bem informada. Informa-se acerca daquilo que lhe interessa. Isto é, cria uma “actualidade” que não é necessariamente a “realidade”.

3 Comments:

Anonymous pedro vendas said...

Calma...
Retirou essa notícia do DN, pelo que a noticia está disponivel. Para a 1ª página não tem suficiente apelo, mas é assim... E se espera que os histéricos anti-americanos valorizem uma noticia destas, sente-se... e espere...

Com paciência e persistência os iraquianos vão estabilizar o seu país. Desde que aos EUA não lhes falhe a mão. Confio que não vai falhar.

11:02 da tarde  
Anonymous luispedro said...

Mesmo interessante era ver, pelo menos, mencionado o escândalo do food-for-oil.

Eu acho que não se deve dar demasiado valor a esses acontecimentos (como lhe dão certos sectores americanos), mas ignorá-lo é também ridículo.

12:06 da manhã  
Anonymous luispedro said...

Reli agora o meu post e há a acrescentar que já não são alegações sobre o caso do Kojo Annan, mas que o pai (Kofi Annan) já assumiu entretanto que o filho recebia dinheiro para o tráfico de armas para o Iraque de Saddam. Não ficou provado é que ele, Kofi, soubesse ou tivesse ligado a estes negócios.

12:10 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home