quinta-feira, junho 09, 2005

A civilização do feriado

1. Não gosto de feriados. Não gosto que mudem as coisas do sítio. Quinta é quinta. Sexta é sexta. Esta quinta tem um sabor a sexta-feira requentada. A sexta de amanhã não terá sabor nenhum. Serão 24 horas situadas num limbo, numa terra de ninguém. Mais: nunca percebi esta coisa dos feriados. Já não temos dois no final de cada semana? Para que raio são precisos mais?

2. Portugal é a civilização do feriado. Os portugueses vivem para terem feriados. Os portugueses detestam trabalhar. O emprego é uma chata pausa pública na vida privada dos portugueses. Somos 10 milhões de seres privados. Somos 10 milhões de seres privados a exigir contrapartidas públicas dum estado que é gerido de forma privada.

3 Comments:

Blogger Francisco Proença de Carvalho said...

Ó Henrique,
Deixa-nos lá gozar o feriado sem problemas de consciência :).
Eu acho que o português não vive para os feriados, mas sim para as pontes. O que nós gostamos mesmo é que haja um feriado à Quinta ou à Terça-Feira para podermos fazer uma ponte. É verdadeiramente ofensivo quando o Estado não dá a famosa "tolerância"...

5:03 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Chico, mas quanta sobranceria. Se não queres ficar no limbo, amanhã levantas-te pelas 6 da matina e vais para acabar as obras de pavimentação da Estrada de Benfica, ali um pouco antes de chegar ao Jardim Zoológico. Trabalho não falta por aquelas bandas.

8:31 da tarde  
Blogger Henrique Raposo said...

Se me tratas por “chico”, és da "legião dos 14". E, se bem me lembro, não havia argumentos demagógicos nas noites da legião…

10:58 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home